Este site usa cookie para proporcionar uma interface melhor. Continuando a navegação estará aceitando a utilização de cookie por noss parte OK

CONSULADO-GERAL DA ITÁLIA LANÇA, NO RIO DE JANEIRO, LIVRO EM COMEMORAÇÃO AO BICENTENÁRIO DA IMPERATRIZ TERESA CRISTINA

Data:

16/03/2022


CONSULADO-GERAL DA ITÁLIA LANÇA, NO RIO DE JANEIRO, LIVRO EM COMEMORAÇÃO AO BICENTENÁRIO DA IMPERATRIZ TERESA CRISTINA

“A cidade de Teresa”, da escritora e ilustradora Ana Maria de Andrade, é voltado ao público infantil. Com edição bilíngue, obra será distribuída a alunos de escolas públicas.

O Consulado-Geral da Itália no Rio de Janeiro lança, nesta quarta-feira (16), no Rio e em Teresópolis, o livro infantil “A Cidade de Teresa”, da escritora e ilustradora Ana Maria de Andrade. O lançamento faz parte de uma série de eventos em comemoração ao bicentenário da Imperatriz Teresa Cristina, que nasceu princesa na Itália e veio a ser conhecida como “a mãe dos brasileiros”.

Com narrativa simples e rimada, a obra é direcionada a crianças das séries iniciais do Ensino Fundamental. Ela foi ilustrada com pinturas e gravuras de artistas do século XIX, entre eles Eliseu Visconti, Debret, Taunay e Rugendas, além de fotomontagens da autora.

Com selo editorial do Instituto AMA Leitura e apoio da Secretaria de Cultura de Teresópolis A Cidade de Teresa é o primeiro livro infantil publicado no Brasil sobre a história da Imperatriz. Ele foi lançado inicialmente em 2020, em formato e-book, a partir do desejo da autora em tornar conhecida a vida da majestade silenciada pelos livros de história. Além disso, a escritora também se motivou ao perceber a necessidade de oferecer às escolas livros digitais de literatura infantil para a elaboração de projetos de leitura durante o período da pandemia.

Nesta edição comemorativa do bicentenário de Teresa Cristina lançada pelo Consulado italiano, a obra foi impressa com texto bilíngue - em Português e Italiano - e será distribuída entre alunos da rede pública de ensino. Ao todo, serão doados pelo Consulado 10 mil exemplares escolas públicas do Rio e de Teresópolis.

Além de contar a história de Teresa Cristina, o livro destaca a importância da Imperatriz para o desenvolvimento da Educação, das Artes e da Cultura no Brasil, assim como a sua influência em decisões importantes durante o Segundo Reinado – época em que mulheres não tinham permissão para ter voz ativa ou ocupar espaços de poder.

No Rio, o livro será lançado às 11h no Colégio Estadual Rodrigo Otávio Filho, em Vaz Lobo, Zona Norte da capital fluminense, que foi a primeira escola pública do estado a contar com ensino bilíngue e bicultural Itália-Brasil.

Já em Teresópolis, o lançamento será durante o Sarau Artístico Cultural de Teresópolis, no Palácio Teresa Cristina. Durante o evento, será entregue a medalha Teresa Cristina, um reconhecimento da prefeitura àqueles que se destacam no desenvolvimento social, econômico e cultural do município.

“Este ano celebramos o bicentenário do nascimento da Imperatriz napolitana Teresa Cristina, certamente uma das personalidades que mais contribuíram não só para a formação da identidade deste maravilhoso país, mas também para o desenvolvimento, graças às suas grandes habilidades e qualidades de caráter e intelectuais, das relações culturais, artísticas, sociais e políticas entre a Itália e o Brasil”, disse o Cônsul-Geral da Itália no Rio de Janeiro, Paolo Miraglia del Giudice.

A escritora Ana Maria de Andrade contou que levou meses pesquisando sobre a história de Teresa Cristina para poder narrar às crianças como foi a vida da Imperatriz.

“Contar para as crianças a história do lugar onde vivemos é guardar a memória do nosso povo. Conhecer o passado é descobrir as raízes e semear o futuro que sonhamos colher”, exalta a escritora.

Em Casa Ou Na Sala De Aula
Além da edição especial bilíngue, a versão em Português está disponível no formato físico em livrarias ou em e-book com download gratuito no site www.anamariadeandrade.com. Para as crianças leitoras iniciantes, a autora disponibilizou a história em vídeo, com animação e narração no seu canal do YouTube.

Já para os professores, A cidade de Teresa acompanha o Guia do Educador com diversas sugestões de atividades para serem desenvolvidas após a leitura. E para prestigiar as autoridades presentes durante os eventos comemorativos dos 200 anos de nascimento da Imperatriz Teresa Cristina, o Consulado-Geral da Itália preparou uma edição luxo, com formato diferenciado e encadernação em capa dura.

Série De Comemorações
O lançamento do livro “A cidade de Teresa” encerra a programação especialmente elaborada pelo Consulado para comemorar o bicentenário de nascimento da imperatriz Teresa Cristina, nascida em 14 de março de 1822.

Na segunda-feira (14), pela manhã, foi inaugurado um busto-monumento da Imperatriz na Praça Itália, no Centro do Rio. O local, mantido pelo Consulado, já abrigou um busto em bronze de Teresa Cristina – a obra foi furtada em janeiro de 2019 e nunca mais recuperada.

Já à noite foi inaugurada no Palácio Tiradentes, sede histórica da Alerj, a exposição ‘As múltiplas faces da Imperatriz: Teresa Cristina em construção’. A mostra tem entrada gratuita e pode ser vista de segunda a sexta das 10h as 17h. 

Princesa na Itália, Imperatriz no Brasil
Teresa Cristina de Bourbon-Duas Sicílias nasceu em Nápoles, no Sul da Itália, em 14 de março de 1822. Filha do Rei Francisco I das Duas Sicílias e da Princesa Maria Isabel da Espanha, ostentou o título de princesa durante seus primeiros 20 anos de vida, mas viveu os demais 47 anos sob a alcunha de Imperatriz.
Aos 21 anos de idade, Teresa Cristina se casou com o primo português Dom Pedro II, então Imperador do Brasil. O casamento se deu por procuração, assinada pela noiva em Nápoles, e o casal só se conheceu quando ela desembarcou no Rio, em 3 de setembro de 1843.
Até 1889, quando foi decretado o fim do Império brasileiro e instaurada a República, a Imperatriz viveu no Brasil, mas teve pouca influência na política do país. Em contrapartida, dedicou sua vida a ações de caridade e de fomento à cultura.
Nos registros históricos, Teresa Cristina é sempre descrita como uma mulher de sorriso terno e bondoso, que tratava a todos de forma muito amável e gentil. Seu comportamento lhe rendeu o apelido de “mãe dos brasileiros” – foi a mulher mais admirada e respeitada de todo o período colonial brasileiro.
Historiadores apontam que a Imperatriz teve grande influência na imigração de italianos para o território brasileiro, fomentando a vinda ao Brasil não apenas de camponeses para o trabalho agrícola, mas também de profissionais especializados como médicos, engenheiros, professores, artistas e artesãos.
O apreço à arte e à cultura, sobretudo pelas relíquias históricas de antigas civilizações, rendeu à Teresa Cristina outro apelido a ela conferido no Brasil, o de “imperatriz arqueóloga”. A arqueologia teria sido a grande paixão de Teresa Cristina.
Graças à Imperatriz, o país recebeu mais de 700 peças, entre artefatos em bronze, terracota, vidro e afrescos, produzidos entre os séculos VII a.C. e III d.C. Dentre eles, estavam vasos, estatuetas, afrescos, amuletos, vasilhames, ânfora, panelas, como caixas de joias, pulseiras e anéis, todos encontrados em escavações nas cidades romanas de Pompeia e Herculano, na região de Nápoles, e na cidade etrusca de Veios, perto de Roma.
Tal acervo formava a “Coleção Teresa Cristina”, que ficava exposta no Museu Nacional, na Quinta da Boa Vista, Zona Norte da Capital Fluminense, onde residiu a Família Imperial. Entretanto, a coleção foi parcialmente destruída no incêndio que devastou o prédio histórico em setembro de 2018.
Teresa Cristina morreu aos 67 anos de idade, em Portugal, em dezembro de 1889, pouco mais de um mês depois de ser expulsa do Brasil, juntamente à toda família imperial, diante da Proclamação da República, que deu fim ao império colonial no país.
Segundo os registros históricos, em seu leito de morte, a Imperatriz teria dito à Baronesa de Japurá, Maria Isabel de Andrade Lisboa, que a acompanhava no exílio, que estava morrendo de “dor e tristeza", não de doença, por ter sido obrigada a deixar o Brasil.
A notícia da morte da “Mãe dos brasileiros” gerou grande comoção no país e sua memória é lembrada nos nomes de várias cidades, como Teresópolis, no Rio de Janeiro, Teresina, no Piauí, Cristina, em Minas Gerais, e Imperatriz, no Maranhão.

SERVIÇO
O QUÊ: Lançamento do Livro A Cidade de Teresa
QUANDO: 16 de março:
¹ às 11h no papai
² às 18h, Sarau Artístico Cultural de Teresópolis
ONDE:
¹ Colégio Estadual Rodrigo Otávio Filho – Av. Monsenhor Félix, 87 – Vaz Lobo
² Palácio Teresa Cristina – Av. Feliciano Sodré, 675 – Várzea, Teresópolis


448